Previdência Privada ou Tesouro Direto: Em qual investir?

Previdência Privada ou Tesouro Direto: Em qual investir?

Ter uma reserva financeira é essencial para garantir um futuro tranquilo. Com as incertezas sobre o sistema previdenciário do Brasil, muitas pessoas buscam outras maneiras de investir no presente para ter uma aposentadoria sem preocupações. 

As duas formas de aplicações mais comuns para poupar e complementar a renda no futuro são a Previdência Privada e o Tesouro Direto. Mas afinal, qual a diferença desses investimentos e em qual deles é mais vantajoso investir? Confira no post que preparamos para ajudar você a escolher o plano de aposentadoria ideal:

O que é Tesouro Direto?

Se trata de um programa do Tesouro Nacional junto com a B3 (antiga BM&FBovespa)

para a venda de títulos públicos para pessoas físicas através da internet. Ao investir em um título, o dinheiro aplicado é emprestado para o Governo Federal e, no futuro, você recebe o valor da quantia aplicada acrescido dos juros. 

Para fazer o investimento é necessário escolher um agente de custódia, que pode ser uma corretora ou um banco, que irá abrir sua conta e intermediar as transações. Feito isso, é preciso escolher entre as modalidades Tesouro Selic, Tesouro Prefixado e IPCA para investir.

O que é Previdência Privada?

É uma poupança feita a médio e longo prazo essencial para aqueles que desejam desfrutar de um futuro tranquilo através de um plano de aposentadoria. Ela funciona por meio de depósitos mensais feitos por um determinado período a fim de acumular dinheiro para ter um futuro confortável. No fim do prazo estabelecido, a renda que você juntou durante todos os anos de contribuição pode ser resgatada.

Para investir em um Plano de Previdência Privada, é preciso escolher entre duas modalidades: PGBL e VGBL. Essa escolha vai depender do perfil de cada contribuinte.

Em qual deles investir?

De modo geral, fazer um investimento em Previdência Privada é mais vantajoso para quem deseja ter rendimentos a longo prazo. O primeiro ponto a ser destacado é a segurança. A Previdência Privada é uma aplicação segura não só pela certeza de seu rendimento ao final do tempo estabelecido, mas também porque é gerida por empresas confiáveis e especialistas. Já o Tesouro Direito, apesar de ser um programa do Governo, oferece riscos pois o preço de seus títulos e papéis atrelados à inflação variam conforme a dinâmica do mercado.

No que diz respeito a benefícios, o Plano de Previdência Privada também se destaca. Dentre suas principais vantagens está a possibilidade de reduzir o valor do Imposto de Renda. Além disso, o dinheiro acumulado pode ser resgatado pelos beneficiários em caso de morte do titular sem a necessidade de um inventário. Também é possível fazer alterações como pausar os aportes, mudar valores, alterar o tipo de renda escolhida e até a idade de saída do plano.

PGBL e VGBL: as modalidades da Previdência Privada

Dentro do Plano de Previdência Privada, como já mencionamos anteriormente, há duas modalidades: PGBL e VGBL. A escolha delas vai depender do perfil do contribuinte e de que forma é feita a sua declaração de Imposto de Renda.

O PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) é indicado para aqueles que fazem a declaração do IR utilizando o modelo completo. Dentre seus principais benefícios está o fato de poder reduzir o valor do Imposto de Renda até o limite de 12%.

O VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre) é feito para quem faz a declaração simplificada ou é isento do IR. Ele também é indicado para aqueles que pretendem aplicar mais de 12% da renda bruta em previdência ou para quem deseja diversificar seus investimentos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.