Saiba qual deve ser o peso ideal da mochila do seu filho

Livros, cadernos, pastas, lanche. Só com itens básicos, a mochila do estudante já adquire um bom peso. Somada a outros materiais como objetos eletrônicos, brinquedos e roupas, o peso pode ultrapassar o recomendado por fisioterapeutas e ortopedistas e se tornar um potencial problema de postura e até de coordenação motora.
Segundo Eliane Alfani, pediatra do Hospital e Maternidade São Luiz, “O uso contínuo de mochila pesada pode levar à dor, desvio de postura e até doenças mais sérias na coluna, como lordose e escoliose”.

Existe uma estreita relação entre o excesso de peso na mochila com alterações e dores na coluna e modificações no caminhar. Por ser o eixo de sustentação do nosso corpo, a coluna também é responsável pelos movimentos psicomotores, como a escrita e a coordenação motora, essenciais na fase da alfabetização. Mais que isso: o peso que muitas crianças carregam traz patologias que, com o passar dos anos, tornam-se difíceis de tratar. Em alguns casos, as mochilas pesadas podem até mesmo lesionar as placas de crescimento dos ossos e, no caso das crianças, fazer com que deixem de crescer.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 85% das pessoas têm, tiveram ou terão um dia dores nas costas provocadas por problemas de coluna. Mas, poucas pessoas sabem que essa dor pode estar relacionada ao peso da mochila que usou na época da escola. O Ministério da Saúde recomenda que o peso não ultrapasse em mais de 10% o peso da criança, ou seja, uma criança de 30 quilos não pode carregar mais do que 3 quilos de material.

Mesmo os pais que têm consciência sobre esse problema, muitas vezes se sentem impotentes para resolvê-lo, na correria do dia a dia escolar. “É comum ouvir pais preocupados ou queixas de crianças, mas na prática, pouco se faz. As mochilas continuam sendo um peso na rotina”, afirma a especialista.

10 maneiras de deixar a mochila do seu filho mais leve:

1 – O peso ideal da mochila: O peso da mochila não pode ultrapassar 10% do peso da própria criança, ou seja, se ela pesa 40 kg, o material não pode ter mais de 4 kg.

2 – Regule a altura correta da mochila: A mochila nunca deve ser maior do que as costas da criança, mas sempre ficar na altura do bumbum. Portanto, não se deve afrouxar as alças.

3 – Use sempre as duas alças: Muita gente, principalmente os adolescentes, tem mania de carregar as bolsas em um ombro só, por uma alça apenas. Está errado. “A mochila tem que ter três pontos de apoio: duas alças e uma tira que amarre na cintura. Isso ajuda a distribuir o peso”, alerta a pediatra Eliane Alfani

4 – Compre mochilas sem muitos bolsos: Quanto menos bolsos tiver a mochila do seu filho, melhor. Até porque, quando ela tem vários compartimentos, fica muito tentador para as crianças carregarem ali dentro mais material do que o necessário.

5 – Opte por rodinhas quando a mochila for pesada: Caso seu filho tenha que carregar um monte de materiais, o ideal é optar pelas mochilas de rodinha. Porém, não deve se abaixar enquanto puxa a mochila. “Ela deve ficar na altura do punho da criança”, diz a especialista.

6 – Leve o lanche separadamente: Nada de enfiar a lancheira na mochila, junto com os cadernos. Além de abafar o lanche, isso vai fazer ainda mais peso. Opte por comprar uma lancheira e peça para levarem separadamente.

7 – Vistorie a mochila: Peça para o seu filho verificar as aulas que terá no dia seguinte. “Livros e cadernos que não forem ser usados devem ficar em casa. A criança acha mais “fácil” deixar todo o material na bolsa logo de uma vez”, diz Dra. Eliane.

8 – Se necessário, procure a escola: Se não tiver jeito mesmo e o material for realmente pesado, com livros grossos e cadernos de diversas matérias, vale a pena conversar com a escola. Fale com a diretora e veja se o estudante pode deixar o mais pesado no colégio e levar para casa o que precisa para estudar.

9 – Só carregue o que realmente importa: Se a criança é pequena, dê uma olhada se não está levando nada a mais.

10 – Fichário é alternativa para adolescentes: Para os adolescentes, o fichário é uma opção. Assim, ele não tem que carregar os cadernos, mas tudo unificado. Ajude-o no começo a organizar as folhas por matérias e compre aqueles adesivos que auxiliam a arrumar as folhas que rasgaram.
Fonte:
Jornal da Savassi
Último Segundo, iG São Paulo | 18/02/2011 17:40 – Atualizada em 27/01/2012 18:29

RELACIONADOS