A respiração bucal e suas consequências

O correto desenvolvimento dos ossos maxilares está relacionado à respiração e à mastigação.

A respiração normal é feita pelo nariz, que é mais saudável, pois ao passar pela via nasal o ar é umedecido, aquecido e filtrado; porém algumas alterações podem fazer com que a respiração não seja feita pela via normal, mas sim, pela boca.
A pessoa que faz essa troca é chamada de Respirador Bucal.

Atualmente, os problemas respiratórios na infância estão cada vez mais frequentes, porém pouca gente sabe da relação desses problemas com defeitos ortodônticos, a maloclusão dentária.

As causas principais do aparecimento da respiração bucal são:
- Obstruções nasais por alergias (Rinites e Rinossinusites);
- Hipertrofia de cornetos;
- Desvio de septo nasal;
- Adenoides aumentadas;
- Amídalas aumentadas.

A respiração bucal pode acarretar vários problemas ao organismo, principalmente para crianças em fase de crescimento. Tais como:
- Os músculos da face ficam flácidos, a boca fica aberta, o lábio superior curto, as olheiras bem marcadas;
- Mau desenvolvimento dos ossos da face;
- Aprofundamento e estreitamento do palato (céu da boca);
- Alteração da fala, nariz pequeno e fino com narinas pouco desenvolvidas e aparência cansada;
- Alterações posturais da cabeça e coluna também podem acontecer.

Como tratar
Sendo a respiração uma das funções vitais de nosso organismo, vários órgãos e sistemas são afetados por esse desequilíbrio. O tratamento, por isso, envolve profissionais de várias áreas.

O otorrinolaringologista e alergista vão remover as causas do problema.
O fonoaudiólogo irá reeducar a criança a respirar pelo nariz e a manter a boca fechada, além de ensiná-la a reaprender a postura corporal, lingual e a pronúncia de alguns fonemas.
Já o ortodontista irá estimular o crescimento normal dos ossos da face, restabelecer a oclusão e dar ao paciente as condições de continuar seu crescimento normal.
É um trabalho de fundamental importância para extinguir o problema, pois se a causa não for removida, os dentes alinhados e o hábito não for corrigido, o trabalho será em vão.
Entretanto, o trabalho maior é feito pelo comprometimento e envolvimento dos pais e da criança e, quando isso ocorre, os resultados são excelentes.

Como toda alteração que envolve o crescimento e desenvolvimento dos ossos maxilares e arcadas dentárias, o tratamento ortodôntico das sequelas da respiração bucal deve ser o mais precoce possível, mesmo enquanto a criança ainda tem os dentes de leite, para que essas alterações não se perpetuem durante o crescimento da criança, tornando mais difícil seu tratamento no futuro.

A importância do atendimento precoce significa melhor qualidade de vida para a criança!

Responsáveis técnicos:
Dra. Cristiane Hiromi Tamaki – CRO 60531
Dra. Luciana Ferreira Ramos – CRO 73307
Dra. Renata Peixinho – CRO 97388

 

Aproveite e conheça o plano odontológico da Seguros Unimed: Banner Blog Rodape A respiração bucal e suas consequências

RELACIONADOS