Já ouviu falar em carona corporativa? Algumas empresas já colocaram essa ideia em prática

Muito tem se discutido sobre mobilidade urbana, uma conversa que demorou para acontecer de verdade em se tratando de cidades gigantes como São Paulo. Porém, mesmo com o crescimento das ciclovias, integração entre modais, faixas de ônibus, entre outros projetos de locomoção, ainda é extremamente necessário discutir maneiras inteligentes de utilizar o carro.

A ideia é que existam menos veículos em circulação, poluindo menos e gerando menos trânsito. Segundo estudo divulgado pelo Ministério do Meio Ambiente, em junho de 2014, os automóveis de passeio foram responsáveis por 38% do dióxido de carbono (CO2) jogado no ar em todo o Brasil durante o ano de 2012. Quanto ao trânsito, de acordo com pesquisa realizada pela CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) em 2013, 63% do tempo de viagem dos automóveis foi gasto em congestionamento e semáforos.

Uma das iniciativas que contribuem para esse cenário se tornar mais positivo é a carona corporativa. A ideia é promover encontros entre pessoas que trabalham na mesma empresa e tenham trajetos comuns. A DIAGEO, do setor de bebidas, contribui ativamente para que isso ocorra, por meio de um app chamado Diageo Carona, que cadastra os trajetos de funcionários interessados em oferecer ou receber carona.

Tudo começou com o happy hour e eventos da empresa e a necessidade de voltar para a casa de forma responsável. E cresceu. Hoje, existe até o conceito de Piloto do Mês – quem oferece mais caronas recebe um vale-presente no valor de R$ 250.

A gigante BASF também tem um programa assim. Desde 2007, quando mudou a sede do ABC para São Paulo, coloca em prática o programa Carona Solidária, que disponibiliza vagas para os carros participantes e paga o estacionamento para quem forma grupos de carona. Atualmente, 97 colaboradores participam. Aplausos!

 

Fonte: Divulgação

RELACIONADOS