Incidência de Radiação em Radiografias Odontológicas - Blog da Seguros Unimed - Blog da Seguros Unimed

Incidência de Radiação em Radiografias Odontológicas

A radiografia é usada na Odontologia para avaliação de lesões bucais, principalmente em osso. Ela funciona como um exame complementar solicitado pelo cirurgião-dentista para ajudar no diagnóstico de alguma alteração ou doença.

Existem mitos sobre a radiação causada pela radiografia, como provocar câncer de tireoide. Mas já foi comprovado que a incidência devido à exposição é baixa e segura. Além disso, usando os itens de segurança (radioproteção), diminuímos ainda mais essa possibilidade.

“Estudos mostraram que nunca foi comprovado cientificamente a relação entre o câncer de tireoide e radiologia odontológica, pela simples razão de que os exames radiográficos odontológicos utilizam doses pequenas de radiação x, e os pacientes se submetem à radiação poucas vezes”, diz José Luiz Cintra Junqueira, cirurgião-dentista, doutor em Radiologia e em Ortodontia e diretor geral da Faculdade São Leopoldo Mandic.

Proporção de Radiação

Recebemos radiação de vários meios diferentes e, querendo ou não, estamos expostos. Este fenômeno é chamado de radiação de fundo ambiental. Como exemplo, citamos a radiação cósmica, do solo e a dos raios ultravioleta.

As doses de radiação das radiografias usadas na Odontologia, genericamente, são extremamente pequenas. Ainda assim, pode-se minimizar os possíveis danos oriundos das radiações ionizantes na rotina odontológica, por exemplo, com o uso de aventais de chumbo, filmes ultrarrápidos, aparelhos calibrados e processamento automático das imagens.

Para analisarmos a proporção da incidência de radiação em odontologia, vamos comparar com a incidência da radiação incidente em um voo entre Nova Iorque e Los Angeles:

Capturar Incidência de Radiação em Radiografias Odontológicas

Pelo desenho acima, podemos perceber que, ao realizar uma radiografia intrabucal, recebemos 7x menos radiação do que ao voar de Nova Iorque à Los Angeles.

Reforçando:

Os exames radiográficos, assim como os exames histopatológicos, exames citológicos e exames de sangue, são apenas complementares, servindo como auxílio ao diagnóstico de qualquer anormalidade ou patologia. Lembramos que o exame clínico é SOBERANO e decisivo para o diagnóstico, e só nos valeremos destes recursos quando for imprescindível.

Você Sabia?

Para a realização de qualquer radiografia, é necessário que se tire brincos, piercings, correntes e qualquer outro objeto metálico para que não saia na radiografia, atrapalhe a visualização ou se confunda com alguma estrutura anatômica.

 

 

Responsáveis Técnicos

Dr. Cristiano Augusto Rosa CROSP 67941
Dra Renata Peixinho CROSP 97388

RELACIONADOS