É possível separar razão e emoção para tomar decisões melhores? É sim! Saiba como. - Blog da Seguros Unimed - Blog da Seguros Unimed

É possível separar razão e emoção para tomar decisões melhores? É sim! Saiba como.

Razão e emoção dividem um verdadeiro campo de batalha no dia a dia de qualquer um. Na teoria, basta considerar fatos e circunstâncias para chegar à melhor solução. Mas, na prática, as coisas não são assim tão fáceis. Para a nossa sorte, Elizabeth R. Thornton, professora de práticas de administração da Babson College, uma faculdade de Boston, consolidou algumas dicas que podem nos ajudar a tomar decisões de forma mais racional.

Segundo ela, nós projetamos nossos modelos mentais e experiências anteriores em tudo, seja uma pessoa ou uma situação. “Com frequência, nós erramos”, afirma a professora.
E o custo da falta de objetividade ao avaliar um cenário pode custar caro. Elizabeth explica melhor esse processo no livro “The Objective Leader: How to Leverage the Power of Seeing Things As They Are”, ou “O Líder Objetivo: Como Alavancar o Poder de Ver as Coisas Como Elas São” (tradução livre para o português).

Confira algumas dicas retiradas de lá:

1)    Perceba os limites de sua objetividade e encontre seus pontos fracos. As pessoas são naturalmente tendenciosas. Leve isso em conta. Quando assumir que não está sendo racional e que está repetindo um padrão, conseguirá pensar com mais clareza.

2)    Examine seus sentimentos. Como você reage a uma situação que exige uma decisão? Você fica agitado ou muito tenso? Se sim, provavelmente não está sendo racional. Dê um passo atrás antes de agir somente por instinto.

3)    Busque opiniões sinceras. Construa uma rede de pessoas que contam com seu respeito e têm pontos de vista diferentes e exponha o problema. Saiba ouvir as opiniões de cada um deles, por mais que sejam opostas às suas. É para isso que servem os conselheiros, não? A partir dessas conversas, você poderá observar se está deixando de considerar algo que deveria.

4)    Leve em conta sua personalidade. Se você gosta muito de agradar, por exemplo, pode ser que tome decisões esperando evitar conflitos. Tente separar seus desejos e expectativas do resto ao escolher um caminho. Ele tenderá a ser mais racional e a trazer resultados melhores.

Fonte: Lifehacker (http://lifehacker.com/how-to-make-objective-decisions-when-youre-emotionally-1697113441)

RELACIONADOS