Como as emoções podem influenciar a vida financeira

Como vivemos em uma sociedade em que os bens materiais são associados a status, identidade e felicidade (mesmo que momentânea), as emoções podem ser determinantes para desestabilizar nossa vida financeira.

Nós compramos coisas por dois motivos básicos: necessidade e prazer. As compras por necessidade são aquelas relacionadas à sobrevivência: alimentos, moradia, transporte, vestuário. As compras por prazer não possuem um motivo tão específico. Por isso, é tão importante se questionar se, de fato, você precisa do que está comprando.

Essa pergunta não é tão simples, já que muitas vezes vivemos em uma realidade distorcida e colocamos gastos supérfluos no campo da necessidade. Além disso, no mundo de hoje, há cada vez mais ofertas de “alegrias momentâneas”. E as pesquisas já comprovaram que quanto mais estímulos recebemos, mais compras fazemos.

O problema está na compra pautada pela emoção, seja ela positiva ou negativa. Quem está com a autoestima baixa, por exemplo, tende a querer evitar essa dor, o que pode levar a gastos irresponsáveis. Já quem está com a autoestima alta demais pode achar que “merece” mais do que de fato consegue bancar.

Confira algumas dicas para evitar esse tipo de compra por impulso:

- Primeiramente, esteja consciente de seu estado emocional antes de ir às compras. Se estiver em desequilíbrio, melhor evitar neste dia, pois você pode acabar comprando mais e o que não precisa.

- Pesquise preços. Durante a pesquisa, além de encontrar preços e condições melhores, você tem tempo para reavaliar e refletir se a compra é necessária.

- Acompanhe diariamente sua conta bancária, dessa forma sempre terá consciência de sua realidade financeira.

- Troque o shopping por uma atividade física. A serotonina, liberada através do exercício, traz a sensação de felicidade e é tão (ou mais) efetiva do que a compra.

- Durante as compras, tente relaxar e conversar com quem estiver com você, tirando o foco dos desejos extras. Mas, importante: evite ir  a centros de compras com pessoas consumistas.

Gostou das nossas dicas? Então comece a aplicar desde já. Pense mais antes de comprar.

RELACIONADOS