Clareamento Dental Interno

Hoje, há uma maior exigência pela aparência física e neste sentido o sorriso de uma pessoa é o cartão de visita, desempenhando uma influência marcante. Consciente disso, a odontologia vem desenvolvendo e aprimorando técnicas para satisfazer as expectativas estéticas. Uma dessas, o clareamento dentário, é hoje um dos mais populares tratamentos estéticos da odontologia.

Existem muitos motivos para a alteração da cor do esmalte dos dentes. O consumo excessivo de café, vinho tinto, refrigerantes tipo cola, chocolate e tabaco, pode causar esse escurecimento. A idade também é um fator que contribui para essa alteração. Antibióticos, fluorose, condições genéticas, traumatismos e tratamentos de canal também têm efeito adverso sobre a coloração natural dos dentes. Nem todos os casos de escurecimento têm indicação de clareamento.

Todos os tipos de clareamento seguem o mesmo princípio: a ação de um gel (peróxido de hidrogênio ou carbamida) em diferentes concentrações, que libera oxigênio, e este altera a cor do dente. O gel não é abrasivo. Existem dois tipos de clareamento dental, o clareamento externo que é realizado na porção externa, “fora”, e o clareamento interno, “dentro” do dente.

shutterstock 393832186 Clareamento Dental Interno

Clareamento dental interno: Quando fazer?

O escurecimento dental interno ocorre pelas mais variadas razões, como tratamentos endodônticos como o “canal”, medicação usada no tratamento, derramamento de sangue na estrutura interna do dente (hemorragia pós-trauma), entre outros.

Porque realizar um clareamento interno?
– Melhoria estética;
– Autoconfiança;
– Sensação de rejuvenescimento.

O que acontece caso não queira realizar?

O dente escurecido não traz risco à saúde. No entanto, há pessoas mais sensíveis ao comprometimento estético, que podem apresentar problemas de socialização e de autoestima.

Técnica

A técnica no clareamento interno dos dentes consiste em:
● Limpeza (profilaxia) dos dentes;
● Radiografia do dente a ser clareado para avaliar endodontia e registro da cor;
● Isolamento do dente;
● Abertura da câmara pulpar;
● Selamento da entrada da obturação do conduto, é removido cerca de 2-3mm do material de obturação da entrada do conduto que recebe um selamento duplo de cimento de hidróxido de cálcio e outro cimento de ionômero de vidro para evitar as reabsorções cervicais;
● Aplicação do agente clareador dentro do dente que pode ser peróxido de carbamida a 35% ou perborato de sódio misturado ao peróxido de hidrogênio a 20%;
● Restauração provisória do dente deixando o agente clareador dentro dele para continuar agindo quando o paciente estiver em casa, daí o nome “walking bleach”;
● Após uma semana, ou até mesmo 5 dias, o paciente volta e é decidido se vai se refazer o tratamento de clareamento interno. Se todo mundo estiver satisfeito com o resultado, é removido o agente clareador de dentro da câmara pulpar, e colocada outra restauração provisória, a restauração definitiva é feita somente 2-3 semanas depois para não ter interferência no processo de adesão.

Responsáveis técnicas:
Dra. Joyce Provase – CRO 77974
Dra. Renata Peixinho – CRO 97388

RELACIONADOS