50 tons de verde: conheça o projeto que promete levar mais natureza à paisagem urbana paulistana

29 espécies de plantas cobrem a fachada de um condomínio localizado na região central de São Paulo, entre a rua Helvétia e a avenida São João. Para ver a novidade, é só transitar pelo Minhocão (de preferência a pé, aos sábados e domingos, quando o elevado é aberto para atividades de lazer).

O prédio é o primeiro das imediações do Elevado Costa e Silva, nome oficial do Minhocão, a receber um jardim vertical em uma das laterais. O nome técnico da área é empena cega, ou seja, paredes sem janelas dos edifícios. Mais prédios devem receber a cobertura, mas o processo ainda em fase de avaliação.

O jardim tem 302 metros quadrados. Começou a ser feito em julho e foi finalizado em meados de setembro. Quem responde pelo trabalho é o Movimento 90º, que pretende construir 8 mil metros quadrados de parques verticais em 20 prédios do centro até o final de 2015.

“Queremos criar ilhas de conservação da biodiversidade vegetal em ambientes que sofreram a interferência do homem, atraindo pássaros e aumentando a unidade relativa do ar”, diz ao site da revista “Exame” Rodrigo Bordigoni, engenheiro agrônomo que ajudou a escolher as espécies que compõem a vegetação, como samambaias. Outro benefício, claro, é que a cidade fica mais viva, colorida e bonita.

A irrigação é feita por um sistema automatizado e tem como premissa usar a água de maneira otimizada. A empresa que responde pela implantação do jardim, que custou cerca de R$ 254 mil, e manutenção nos seis primeiros meses é a WTorre. Depois, a Prefeitura de São Paulo assume a função.

 

Fonte: Exame

RELACIONADOS