5 dicas para fugir do aperto financeiro

Organizar e controlar as finanças é um dos desafios mais difíceis. Em alguns casos, chega a ser frustrante quando um conhecido consegue economizar e a receita disso não funciona para você.
Pensando nisso, elaboramos 5 alternativas essenciais para fugir do aperto financeiro. Elas servem para todos os tipos de pessoas!

1- Quite as dívidas com os juros mais altos
Na hora de quitar as dívidas, os juros são os nossos maiores inimigos. Principalmente com as dívidas de cartão de crédito, cheque especial e empréstimos pessoais, que possuem os juros mais altos do mercado. Quanto maior a demora para pagar essas contas, mais altas elas ficarão.

Bola de neve:
Quando a dificuldade financeira aparece, a opção mais viável é pagar apenas aquele valor mínimo da fatura do cartão de crédito e financiar o restante. Alguns meses depois, a dívida cresce tanto que precisamos optar pelos empréstimos pessoais. Como os juros dos empréstimos são exuberantemente altos, chega um momento em que o salário não é suficiente para quitar nem a primeira dívida, muito menos a segunda. Neste momento, você acaba usando o cheque especial.

Já imaginou uma situação dessa? Infelizmente, este é um cenário muito comum na vida dos brasileiros. Desse modo, é importante repensar se vale a pena arriscar o orçamento mensal com os juros.

A saída para essa bola de neve?
Cortar os supérfluos: será que aquela roupa nova precisa ser comprada agora ou dá para esperar?
Busque o lazer dentro de casa: com tantas opções de filmes on-demand, ir ao cinema é mesmo necessário?
Economize na alimentação: não estamos falando para você parar de comer, não nos entenda mal! Mas e aquela pizza dos fins de semana, dá para cortar?

2- Faça um fundo para emergências
Poupar dinheiro é uma das maiores dificuldades, não é? Mas sabe quando o seu carro quebra ou você precisa fazer uma daquelas reformas inesperadas na sua casa e está sem dinheiro? Nessas situações, apelamos para os nossos inimigos do tópico 1 (cartão de crédito, cheque especial e empréstimos pessoais). Por isso, a melhor alternativa é ter um fundo emergencial para evitar gastos desproporcionais ao orçamento mensal.

Dica do assessor financeiro Joe Carbone: a reserva ideal deve ser suficiente para, no mínimo, seis meses.

3- Pesquise os melhores preços para compras recorrentes
Na correria do dia a dia é difícil realizar uma pesquisa mais aprofundada dos produtos antes de efetuar as compras, porém esta estratégia ajuda a diminuir os gastos no final do mês. Todavia, para alcançar o objetivo maior de não ficar mais sem dinheiro, você precisa tomar decisões mais sensatas.

Os shoppings centers, por exemplo, servem de passatempo para muitas pessoas. É nessa hora que os gastos adicionais acontecem. Para evitar isso, há duas saídas: ir aos shoppings apenas quando realmente quiser comprar algo (para isso, faça uma lista) ou para passar o tempo, mas deixe o cartão em casa (assim, você consegue comparar os preços antes de comprar).

4- Acompanhe os seus gastos
Paulinho da Viola já dizia “dinheiro na mão é vendaval”. Trinta anos depois, a frase faz mais sentido a cada dia. Diante disto, independemente da renda, é fundamental ter um controle de todos os gastos para que o dinheiro não saia voando sem que você perceba.

Além da velha planilha Excel, você pode optar por alguns aplicativos para controlar os gastos:

Money Wise (para Android): Simples e prático. Neste App, o usuário consegue adicionar os seus gastos e a sua renda mensal. Assim, é possível saber com exatidão as condições da saúde do seu orçamento.

Finanças Pessoais (para Android): O aplicativo garante que os usuários possam criar relatórios e controlar até mesmo as faturas do cartão de crédito.

Minhas Economias (para Android e iOS): Com este App, é possível construir planilhas completas para que não escape nenhum gasto.

Bill Reminder (para Windows Phone): Lembrar de pagar todas as contas é tão difícil quanto controlar os gastos, por isso o Bill Reminder foi criado. Ele funciona como um calendário focado nas faturas mensais que precisam ser pagas.

5- Crie um orçamento mensal para sua casa
A criação de um orçamento exclusivo para os gastos mensais do lar e da família podem ajudar muito na hora de pagar as contas. Desta maneira, você consegue mensurar os locais onde há possibilidade de cortes.

 

Fonte: InfoMoney

RELACIONADOS